DESABAFO DOBRE CONSCIÊNCIA….

Ela era linda…Rica…Famosa e…Sozinha
Mas por quê?
Perguntou um jornalista destinado a saber enfim porque era tão difícil ela se envolver com alguém…
Consciência disse ela, tanto dela quando de outra pessoa…
Mas consciência? Indagou o repórter surpreso…E ela disse que para alguém se envolver com ela a pessoa precisa ter consciência de quem ela é, que aquela pessoa em cima do palco não é ela, mas o que ela faz!!!
E que ela também precisa ter esta consciência poque se não também fica perdida no sentido dela mesma pensar que ela é de fato o que ela faz e assim as pessoas passarem a vê-la como um ser perfeito.
Quando finalmente a entrevista terminou e o jornalista foi editar seu trabalho,  ao invés de publicar a entrevista de fato ele publicou o seguinte texto:

“É difícil ter consciência quando o que você busca é tua felicidade onde normalmente o coração e o instinto se sobrepõe a razão.
É difícil se conscientizar de alguma coisa quando esta não está ao nosso alcance, pois a consciência faz parte de um tipo de “saber”…
Entre poder e o não dever…
Você “pode” fazer aquilo, mas “não deve”…
Agora como ter consciência em ralação a uma pessoa ou a alguém que não se abre para que isto possa ocorrer?
Como se conscientizar de que aquela pessoa é ou não é???
Se é boa o suficiente para ser especial.
Se é um ser humano que também possui consciêntização de que só somos alguém de fato para outro alguém se nos permitirmos…
Que consciência é esta que devemos ter para ser o “alguém” de alguém…
Acredito que a consciência têm a ver com o medo…
Medo de não agradar…
Medo de não corresponder as espectativas…
Medo de não ser o “perfeito”…
E de assim não corresponder ás características que em um primeiro momento encantou…
Acredito que as vezes nem a consciência de quem somos temos…
É difícil parar para pensar e refletir sobre o que é ser alguém, ou ser especial para alguém.
Algo nos chama a atenção, mas de onde vem este algo?
Atrações, paixões ou não podem ser motivadas por cheiro, senso estético, admiração e até mesmo pelo que os diferenciam de outras que a primeira vista parecem ser comuns, ou normais…
O fato é que não existe o certo ou o errado, o ideal ou o que imaginamos, o que existe é a curiosidade em conhecer uma outra parte da pessoa em questão.
Se nos apaixonamos pelo professor , pela sua imponência ao falar e aptidão de ensinar não acreditamos que ele é somente isto, mas parte disto sim.
Você pode não ser sempre o gerente de uma grande empresa, mas parte de você é líder e talvez este diferencial com o qual nos encantamos a primeira vista seja pouco perto do se é como um todo.
Digo e repito, não somos o que fazemos, mas somos parte disto.

Então tenha você a profissão que tiver, permita-se conhecer e se deixar conhecer, mesmo que a princípio a aproximação dada seja por sua diferença…
Não generalize pois ninguém conhece ninguém de fato, conhecemos o que imaginamos, e mesmo quando julgamos conhecer alguém as vezes nos surpreendemos, outras nos decepcionamos…
Os seres humanos são caixinhas de surpresas…
Assim como a vida

Que nos prega peças e pessoas tão especiais , que se não fosse a maldita consciência poderíamos ter conhecido e deixado nos conhecer..”. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s